sexta-feira, 1 de julho de 2011

o que é rubor facial

Rubor Facial

Como posso saber se tenho Rubor Facial?

Não existe um exame específico para detectar esta disfunção. As pessoas que tem o sintoma em associação com seu médico observam os sintomas para chegarem ao diagnóstico.

O que é Rubor Facial?

O Rubor Facial, também conhecido por alguns como “Fobia Social” ou “Eritrofobia”, é muito mais freqüente do que podemos imaginar. Estas pessoas ficam na maior parte do dia com uma coloração variando do róseo ao vermelho. O calor exagerado associado com rubor facial é pouco entendido e muitas vezes não são reconhecidos pela maioria da população incluindo os próprios médicos.

Quais os locais mais atingidos?

As pessoas com esta disfunção sentem seu rosto ficar quente e vermelho. Pode atingir toda a face ou apenas algumas partes da face como as bochechas, testa, nariz e orelhas. O rubor pode estar presente na parte superior do tórax, na base do pescoço e braços. Nas situações mais graves, chega a atingir o centro do tronco até as pernas. Muitos pacientes têm descrito a sensação de aumento de temperatura na face como “flash (relâmpago) de calor” ou “vergonha súbita”. Quando presente, esta sensação pode envolver a região crânio-facial, o pescoço e as orelhas.

Quais as causas do Rubor Facial?

O Rubor Facial em excesso acontece devido a uma disfunção de um nervo que se localiza dentro do tórax. O nervo do Sistema Autônomo Simpático Torácico.  

Quando surge o Rubor Facial?

Não tem uma idade certa. Pode surgir já no nascimento ou na puberdade ou podendo aparecer na idade adulta. 

Quem é mais atingido?

O Rubor Facial atingi tanto homens quanto mulheres, aproximadamente 0,2% da população mundial sofrem desse mal. Há uma maior incidência em pessoas da mesma família e em povo de pele clara.

Pode ter mais algum sintoma associado?

Com alguma freqüência, estas pessoas têm associado o excesso de suor, conhecido como hiperidrose.

Como tratamos o Rubor Facial?

Existem algumas medicações que são usadas com a intenção de diminuir o rubor facial e aliviar a sensação de desconforto. Tratamentos medicamentosos com beta-bloqueadores, ansiolíticos e anti-depressivos já foram tentados, mas os resultados, na maioria das vezes, são frustrantes.
Atualmente, o tratamento efetivo com grau de satisfação acima de 80% é o tratamento cirúrgico, que atuará sobre o nervo simpático que é responsável pela estimulação do rubor na face. 

Quais são as técnicas cirúrgicas para o tratamento do Rubor Facial?

O bloqueio do gânglio do nervo simpático, que estimula a vermelhidão facial, pode ser realizado através da secção (corte) do nervo, secção e retirada do gânglio ou preservando o nervo e bloqueando o gânglio utilizando-se um clipe de titânio, sem a necessidade de seccionar o nervo.

Como é a anestesia para esta cirurgia?

Esta cirurgia é realizada sob anestesia geral. 

A cirurgia é realizada por vídeo?

Sim. Utilizamos equipamento de vídeo-toracoscopia (cirurgia por vídeo) e materiais especiais para o procedimento.

Qual o tempo de internação hospitalar?

Normalmente, os pacientes deixam o hospital antes de completar 24 horas da cirurgia. Podendo receber alta hospitalar no mesmo dia, caso a cirurgia seja realizada pela manhã.

Como é o pós-operatório?

No pós-operatório imediato alguns pacientes referem dor leve a moderada, mas com a administração de analgésicos estes sintomas são facilmente controlados.

O que não devemos fazer no pós-operatório?

Recomendamos que nas primeiras duas semanas após a cirurgia sejam evitados exercícios físicos. As atividades do dia-a-dia estão liberadas logo após a alta hospitalar.

Quais são os riscos de complicações cirúrgicas?

Há certos riscos que são inerentes a qualquer ato cirúrgico. Como a rotina pré-operatória inclui avaliação clínica, consulta pré-anestésica e realização de exames complementares que incluem exames laboratoriais e radiológicos, as chances de complicações reduzem-se muito. A incidência de complicações é menor de 0,5%. As mais freqüentes complicações são o hemotórax (sangue no tórax) e o pneumotórax (ar no tórax). Estas complicações são facilmente tratadas, sem qualquer seqüela, desde que o cirurgião seja capacitado para tal.

Quais são os efeitos colaterais do tratamento cirúrgico?

Em alguns casos pode surgir suor em regiões que anteriormente não tinha ou aumentar em regiões que já suavam. Este fenômeno é conhecido como suor compensatório ou suor reflexo. Os locais comumente acometidos são: costas, abdômen, pernas ou coxas. Há uma incidência muito pequena de aparecimento da síndrome de Horner, que é uma leve queda na pálpebra (a fenda ocular torna-se menor e mais estreita) e falta de suor naquele lado da face. Esta síndrome na maioria das vezes é reversível, mas pode ser permanente. Isto acontece quando o gânglio simpático mais alto (gânglio "estrelado”) é atingido durante a cirurgia. Embora a incidência seja bastante baixa, é uma complicação potencial e todos que irão submeter-se ao procedimento cirúrgico devem saber e ficar atentos. 

Qual é o grau de satisfação com o tratamento cirúrgico?

A satisfação com o resultado da cirurgia é maior de 90%.

Quais são as chances de sucesso no tratamento cirúrgico do Rubor Facial com a simpatectomia vídeo-torácica?

A probabilidade de sucesso varia de acordo com cada paciente. Espera-se cura em torno de 80%. 

O resultado da cirurgia é imediato?

Sim. Os sintomas de vermelhidão e aquecimento no rosto desaparecem logo após o nervo simpático ser bloqueado, seja pelo uso do clipe ou pelo corte do nervo. 

A cirurgia é reversível?

Sim. Se na cirurgia for utilizado o clipe, poderá ser feita a retirada do mesmo e ocorrer a reversão desde que este procedimento seja efetuado nos primeiros 4 meses após a cirurgia.


http://www.drsamirhaje.com/rubor-facial/

Nenhum comentário:

Postar um comentário